O Teatro de Vila Real organizou no passado dia 12 de março um concerto da artista Rita Redshoes. O grande auditório encheu-se de espetadores para ouvirem temas do seu segundo trabalho de originais intitulado “Lights & Darks“.
Este foi mais um dos inúmeros espetáculos que o Teatro de Vila Real promoveu. A instituição, que procura ter uma programação que vá ao encontro dos gostos de um vasto leque de pessoas, aposta na diversidade e qualidade em cada espetáculo. Rui Araújo, coordenador de programação do teatro de Vila Real, afirma que este concerto foi mais um exemplo da conjugação dos princípios que procuram seguir “o teatro tem bastante afluência, sobretudo devido à diversidade que permitam que muitas pessoas possam encontrar ao longo do mês motivos e momentos de interesse para nos visitar”.
Rita Redshoes, nome artístico de Rita Pereira, atuou nessa noite que prometia ser de sucesso, uma vez que o auditório esteve quase esgotado. Ex-vocalista dos Atomic Bees e ex-teclista de David Fonseca, a artista cantou e encantou as dezenas de pessoas que assistiram ao seu segundo concerto na cidade de Vila Real. “Já tinha estado aqui no ano passado e já no outro concerto tive uma grande empatia com o público, foi um concerto especial, lembro-me perfeitamente. Quando soube que a sala estava quase cheia, antes do concerto, pensei logo que ia ser mais uma noite emocionante e de facto foi. Só posso dizer que eu aqui tenho sido muito bem recebida e fico muito grata”, referiu emocionada. A cantora e compositora disse inspirar-se em tudo para fazer as suas músicas: “eu sou bastante observadora e muito atenta ao que me rodeia. E tudo me influencia, quer seja as pessoas, pinturas, livros. A vida em geral inspira-me. Eu escrevo coisas que têm a ver comigo, não literalmente, não é nada autobiográfica, mas têm a minha visão das coisas. Não há uma moral na minha música, não tenho uma mensagem definida, pois acho que devemos deixar espaço às pessoas que recebem a música para pensarem o que quiserem e fazerem com ela o que quiserem”, afirmou. A ex-vocalista dos Atomic Bees confessou sentir-se muito contente com o concerto afirmando que percebe quando um público gosta do seu trabalho como é o caso dos vila-realenses. “Sente-se a diferença entre um aplauso de uma pessoa que gosta muito do meu trabalho e que também se entregou e eu hoje senti isso. Quase que chorava. É muito emocionante. Não é pelo aplauso, tem a ver com o ter sentido que partilhei com as pessoas aquilo que vim trazer e sentir esse calor por parte das pessoas”, revelou Rita.
Micael Alves, um dos presentes, destacou a importância deste tipo de iniciativas: “a programação do teatro é muito boa. Eles proporcionam-nos bons momentos e é de aplaudir o facto de nos enviarem aquelas publicidade sobre os eventos. O teatro de Vila Real tem feito um bom trabalho e tem conseguido chamar a população”. Quanto ao concerto, louvou a escolha da artista: “o concerto foi excelente, ela tem muito talento e sabe chamar a atenção do público e proporcionou alegria entre todos os espectadores. E vir uma figura pública como a Rita à nossa cidade é uma oportunidade que toda a gente deve aproveitar”, concluiu.
Rita Redshoes, que lançou em 2008 o seu primeiro álbum a solo com o nome de “Golden Era“, regressa agora com o seu segundo disco composto por 14 temas entre os quais “Captain Of My Soul”, “Bad Lila” e “You Should Go”.