Era um dia como os outros, não fosse eu um solteirão sem sorte nenhuma com as mulheres, mas hoje tudo vai mudar! Eu acredito nisso, porque é hoje que vou sair com a vizinha do primo do meu colega de trabalho. Eu sei que não a conheço, mas tenho um bom “feeling”. Eu sei que tenho que estar com a cabeça bem assente na terra, aliás a minha última saída foi tudo menos normal.

Foi ontem, saí com a irmã do amigo da minha ex-cunhada. Sim, porque apesar do meu irmão se ter conseguido casar, divorciou-se passado dois dias quando a mulher descobriu o nome dele – Uraqueiro Ginácio (não vejo qual seja o mal…) – e quando conseguiu o documento que a tornava uma cidadã legal no nosso país. Eu acho que, se calhar, ela não gostava muito dele, até porque eles só namoraram 10 dias antes de se casarem.

No entanto, continuando a minha história. Foi ontem que saí com aquela que eu pensava levar-me à Lua. Chamava-se Isabel e era linda… Pronto, eu sei que era ruiva (com cabelos brancos), tinha aparelho, usava óculos fundo de garrafa, tinha sardas, varizes, umas unhas assim granditas e com um verniz tipo castanho terra (e bastante mal pintadas), mas era a tal. Eu sentia-o, era um “feeling”. Quando a vi, fiquei logo encantado. Ela era perfeita, não era 80-60-80, mas era 120-150-180 (mais ou menos) uma coisa em grande. Eu quando escolho, sei escolher.

Como queria que fosse uma coisa romântica, levei-a a jantar ao McDonald’s e ela adorou. Porém, fiquei triste quando vi a conta (acreditem): ela é uma pessoa em grande que sai muito cara. Acho que também era desnecessários os sete Sundaes depois dos 9 McFlurries, mas pronto, tudo para satisfazer a minha princesa. Depois levei-a ao cinema e, apesar de ser um cavaleiro, apenas paguei os bilhetes (os oito baldes de pipocas pagamos a meias). Ela estava a adorar a noite, mas amou quando me pediu para ir uma loja de roupa e eu fui. Estivemos lá cerca de 3 horas, para virmos embora sem nada, porque era uma loja de roupa de crianças grandes. Não percebi bem. Nada lhe servia. Fomos então a outra loja e ela pediu-me uma prenda e, como cavalheiro que sou, disse para ela escolher o que quisesse: maldita a hora! 679€ foi o que gastei com a minha rainha (sim, rainha porque as princesas ficam mais baratas). De seguida, levei-a a casa e a Isabel nem um beijo de despedida me deu, apenas me disse que sairia comigo no verão para renovar o seu guarda-roupa. Não percebi. Pensei que nos amávamos de verdade. Nunca pensei que ela fosse como a Raquel, ou a Francisca, ou a Gabriela, ou a Rita ou a Maria. Destroçou-me o coração.

Contudo, eu tenho um “feeling” que é hoje que vou encontrar a minha alma gémea e casar para termos lindos meninos com o meu nome. Já estou a imaginar-me a chamá-los: Zelmirinhos Rinácios! Agora tenho de me ir vestir, para sair com a minha “lindona”. Esta é diferente, porque não quer saber do meu dinheiro. Perguntou à vizinha do primo do meu colega de trabalho se eu era rico. Esta disse que eu ganhava muito bem, ao que ela nem se interessou, tendo apenas dito: ok, eu saio com ele. Tadinha, que fofura ela é. Ela deve mesmo amar-me e tenho a certeza que é esta. Tenho um “feeling” diferente dos outros “feelings” dos outros dias…